Harris Savides 1957 – 2012

Harris Savides morreu recentemente. Ele foi um dos principais diretores de fotografia do cinema nos últimos 15 anos. O crítico Richard Brody, comentando sua morte, definiu Savides como um dos heróis do cinema americano moderno. Savides trabalhou com alguns dos cineastas americanos mais interessantes dos últimos tempos: David Fincher (Zodíaco), Sofia Coppola (Somewhere e o inédito The Bling Ring), James Gray (Caminho sem Volta), entre outros. Mas sua colaboração mais longa e talvez mais importante tenha sido com Gus Van Sant: Gerry, Elefante, Last Days, Milk e Inquietos.

É difícil apontar o ponto forte de seu trabalho, pois Savides era muito versátil: fez filmes claros, escuros, experimentais, comerciais, em ambientes fechados e até em desertos. Talvez no futuro seja mais lembrado pelas cenas noturnas de Zodíaco (filmadas com a câmera digital Thomson Viper) e os movimentos de câmera longos e complexos de Elefante e de Birth (de Jonathan Glazer). Não é exagero afirmar que Savides foi praticamente coautor destes e de outros filmes. Ele soube como poucos dar liberdade para a imaginação de pessoas muito talentosas. Sua morte é uma perda de tamanho incalculável para o cinema americano. Mas os filmes em que trabalhou estão aí, muito vivos, graças a ele.